Qual é a taxa de investimento razoável para o Brasil?

Não sei dizer, aliás considero que mais importante que olhar a taxa de investimento é olhar onde está sendo feito o investimento. Se for para aumentar a taxa de investimento colocando dinheiro em elefantes brancos, obras que não ficam prontas, empresas que não vivem sem subsídios e coisas do tipo é melhor usar o dinheiro para consumo. Enfim, vez por outra aparece um pessoal querendo levar a taxa de investimento para 25% do PIB, antes de se animar com esta proposta olhe o gráfico abaixo feito com dados do IBGE obtidos no Ipeadata (link aqui).


De 1901 a 2013 nossa taxa de investimento só ficou acima de 25% em 1989, provavelmente por conta de distorções nas medidas causadas pela hiperinflação da época. Repare também que no período que vai do começo do Estado Novo até o final da década de 1970 a taxa de investimento mostrou uma tendência de crescimento, ao contrário do que poderíamos imaginar ao final do período no lugar de uma época de ouro tivemos uma década perdida e uma hiperinflação. Parece que andamos investindo errado...

Comentários

  1. Por que parecemos, digo, nós, como povo, incapazes de aprender algo básico como isto: é mais importante saber em que investir do que quanto investir. Como a "nova matriz econômica" pode ter enganado tantos por tanto tempo, se é que enganou mesmo alguém por algum tempo, do que tenho dúvidas. Acho que se sabia muito bem o que se estava fazendo...

    ResponderExcluir
  2. Amigo, gostei do post e especialmente do gráfico, mas procurei a fonte do mesmo e não achei. Consegui achar a fonte de 1947 a 2014, mas os dados de 1901 até 1946 não. Eu sei que o post é um pouco antigo, mas teria como me passar a fonte dos dados? é para uma pesquisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A série pode ser encontrada do Ipeadata, procure por taxa de investimento (%PIB) nas Contas Nacionais (ref2000).

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Limite de isenção do Imposto de Renda em termos de salários mínimos durante os governos petistas

Investimento do governo federal e teto dos gastos

Aumentos do Salário Mínimo nos Governos FHC, Lula e Dilma