Avaliação da CAPES por área: uma olhada bem rápida na distribuição dos centros de excelência.

Quem me conhece sabe que não sou exatamente um entusiasta do modelo de avaliação da CAPES, tenho problemas tanto com a forma que a avaliação é feita quanto com o conceito de uma agência do governo avaliar a pós-graduação e classificar a pesquisa em todo o país. Mas independente de meus questionamentos ou mesmo de meu inconformismo a avaliação é feita e é considerada pela comunidade acadêmica brasileira. Sendo assim resolvi dar uma olhada nos programas de excelência por área de conhecimento.

A comparação é delicada, cada área tem sua própria comissão de avaliação e os critérios utilizados não são exatamente os mesmos. Por outro lado a CAPES tenta padronizar a avaliação tanto por meio de diretrizes quanto por uma análise posterior dos documentos elaborados por cada área. No saldo geral as notas são muito influenciadas pela área, mas tem alguma consistência entre as diversas áreas.Tal consistência faz com que em todas as áreas centros classificados com notas seis ou sete tenham inserção internacional maior que o que é costume na área. Falo isso não por desejar que as notas fossem mais padronizadas ou por dar um valor especial aos critérios de internacionalização usados pela CAPES, pelo contrário, falo apenas para localizar o leitor a respeito dos riscos das comparações abaixo.

Comecemos com a concentração de programas com notas seis e sete, os ditos centros de excelência. A área Ciências Biológicas III é que tem a maior concentração de programas de excelência, 35% do programas da área foram classificados como seis ou sete. Em seguida, com 28% dos programas classificados como de excelência aparece a área Ciências Biológicas II. A considerar a avaliação da CAPES os programas brasileiros na área de biologia se destacam em termos de inserção internacional, na área Ciências Biológicas I cerca de 22% dos programas são de excelência. Entre as dez áreas com maior proporção de programas seis ou sete apenas uma, Ciência Política e Relações Internacionais, é de ciências sociais ou humanas, cada um que tire suas conclusões. Na área Economia 18% dos programas ficaram com notas seis ou sete, estamos acima da média que foi de 14% dos programas com nível de excelência. A figura abaixo mostra a proporção de programas seis e sete por área da CAPES.



A avaliação das proporções é interessante para termos uma ideia da distribuição de programas de excelência nas diversas área, mas algumas vezes é importante termos uma noção de tamanho. É possível que uma área tenha uma proporção alta de programas de excelência por ter um número muito baixo de programas, não que isso seja um problema, mas é um ponto que deve ser considerado se, por exemplo, estamos interessados em avaliar número de patentes produzidas em uma determinada área. A figura abaixo mostra a distribuição do total de programas seis ou sete por área. Mais uma vez as ciências humanas e sociais aparecem com apenas um representante na lista das dez áreas que lideram o ranking, dessa vez foi a área Letras/Linguística. Com nove programas classificados como seis e sete a área de Economia fica abaixo, porém próxima, da média que foi de 9,5 programas de excelência pro área.


Não sei dizer a utilidade dos números acima, como já disse tenho críticas a avaliação da CAPES e não arisco apostar que peculiaridades das áreas tenham mais influência sobre os números do que a CAPES gostaria. De toda forma os números estão aí, se eu me animar faço uma avaliação dos resultados da UnB ou uma comparação entre as grandes universidades do país, talvez esta comparação seja mais útil, não sei dizer. Só sei que depois da eliminação do Botafogo e de um dia olhando dados de estados fazer esse post foi a diversão que encontrei.



Comentários

  1. Tem como saber quanto de recursos foi destinado p/ cada area?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, em tese temos como saber quanto cada programa recebeu da CAPES. Somar outras fontes de financiamento fica mais difícil pois depende de como cada universidade contabiliza recursos captados pelos programas de pós-graduação.

      Excluir
  2. Supondo que a classificação seja informativa, é preocupante a posição da educação e do ensino.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Limite de isenção do Imposto de Renda em termos de salários mínimos durante os governos petistas

2016: O ano que o Império da Lei venceu o império do governante.

Desempenho da economia durante o regime militar: o que dizem os dados?