domingo, 27 de março de 2016

Uma breve nota sobre ALCA, NAFTA e a manufatura no Brasil e no México.

Em 2005 deveria ter começado a Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), deveria, mas não aconteceu. Um grupo de países barrou a ALCA alegando que o acordo destruiria as indústrias locais, o Brasil teve destaque nesse grupo. Na ocasião a FIESP lançou um estudo mostrando as perdas que teríamos com a ALCA, também não faltaram especialistas apontando como o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA) havia destruído a indústria mexicana e que a ALCA faria o mesmo com a nossa. O gráfico abaixo mostra a produção manufatureira como proporção do PIB no Brasil e no México desde 2005, como podemos ver mais de dez anos depois é bem provável que nossa indústria estivesse feliz tendo o desempenho da indústria mexicana.




Da onde tiraram a ideia que o NAFTA destruiu a indústria do México? Para responder a pergunta basta olhar o mesmo gráfico começando em 1995, logo após a entrada em vigor do NAFTA a produção manufatureira do México subiu em relação ao PIB, a subida teve folego curto, de forma que entre 1998 e 2005 foi observada uma queda consistente na produção industrial mexicana. Tal queda poderia ter sido causada por vários motivos, mas os “combatentes do império” na época preferiram colocar a culpa no NAFTA. Mais dez anos se passaram e a manufatura mexicana se estabilizou em torno de 17% do PIB, a nossa está em 11% e caindo.




Cuidado ao leitor apressado, os gráficos acima não permitem concluir que a indústria mexicana se beneficiou do NAFTA nem que a queda na indústria brasileira teria sido evitada com a ALCA, longe disso, os gráficos acima apenas mostram que os que tentavam nos assustar com o exemplo do México poderiam ter sido mais cuidadosos. Não vou cometer o mesmo erro.

P.S. Os dados são do Banco Mundial e foram obtidos por meio do Quandl (link aqui).




4 comentários:

  1. A queda da indústria no México Não TEVE NADA A VER com o Nafta e teria sido muito pior sem o Nafta. Trata-se inteiramente do efeito China na balança comercial dos EUA. O Nafta ajudou a preservar empregos e renda no México que de outra forma não teria...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Devia ter um botão de "curtir" nos comentários do blog.

      Excluir
  2. Olá Roberto. Não sei se é o caso da ALCA, mas, por exemplo, se o Brasil fechar um acordo de livre comércio com os EUA, o brasil não iria abdicar de produzir bens industrializados uma vez que é mais viável comprar dos EUA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em um primeiro momento pode ser que sim, pelo menos em alguns setores, mas depois, com acesso a mais e melhores insumos poderíamos recuperar a produção perdida e conseguir ainda mais.

      Excluir