"Governo Dilma é o Primeiro a Aumentar a Inflação Média desde o Plano Real", ou Estadão adere à Imprensa Governista, ou ainda "Entre Aumentar a Inflação e Gerar uma Recessão Governo Dilma Escolheu os Dois"

Pior do que uma imprensa golpista é uma imprensa governista. Hoje no Facebook circulou uma matéria do Estadão afirmando que “Inflação média de Dilma é a mais baixa desde o Plano Real” (link aqui). Estranhei e fui ler a matéria completa, logo abaixo da chamada está escrito: “Em 3 primeiros anos, alta de preços do atual governo é menor que a de Lula e FHC”. Pensei que poderia ser verdade em relação aos primeiros mandatos de FHC e Lula, mas estranhei que fosse válido para os segundos mandatos. Lendo a matéria percebi que segundo o Estadão só contam os primeiros mandatos, o prestigioso jornal paulista acredita que segundo mandato não conta. Com este critério o Estadão conseguiu de fato justificar o título da matéria uma vez que nos períodos 1995/1997, 2003/2005 e 2011/2013 a inflação média foi de 12,4%, 7,53% e 6,08%, respectivamente. O que aconteceu em 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010 não interessa a quem escreveu a manchete.

Como sou um sujeito persistente continuei lendo a reportagem. Foi assim que descobri que a inflação de 2.447,15% em 1994 e de 916,43%em 1995 podem ter tido algum efeito no triênio 1995/1997, quem poderia imaginar? Naturalmente quem elaborou a manchete não achou que esta singela informação poderia ter algum efeito no julgamento de quem quer que tenha lido a seção de economia do Estadão. Da mesma forma o corpo da reportagem faz menção ao desarranjo da economia em 2002, nenhuma referência foi feita a desconfiança do mercado com a eleição de Lula.

Continuo a leitura, sou mais persistente do que o amigo imagina, para finalmente encontrar a inflação média em cada mandato. Os números são: FHC1: 9,56%, FHC2: 8,78%, Lula1: 6,43%, Lula2: 5,14% e Dilma: 5,95%. Imediatamente pensei em uma manchete alternativa:” Governo Dilma é o Primeiro a Aumentar a Inflação Média desde o Plano Real”. Ao contrário da manchete do Estadão a minha é fiel aos fatos e não precisa sumir com nenhum ano. Não me dei por satisfeito, 5,95% de inflação média para os quatro anos de Dilma me pareceu um número baixo. Na nota de rodapé o autor da matéria diz que para 2014 usou o valor estimado pelo Banco Central, mas abaixo vejo que este valor é de 5,55%, ou seja, no cálculo da média o autor da reportagem usou 5,55% com a inflação de 2014. O número me pareceu estranho, fui checar no Relatório Focus, escolhi o mais recente disponível que é o de 29/08/2014 (link aqui). Nele vejo que a expectativa do mercado para inflação de 2014 é de 6,27% pela mediana e de 6,30% se considerarmos as cinco instituições que mais acertam as previsões. Usando a inflação de 6,27% para 2014 a inflação média do governo Dilma passa a ser 6,13%. Ainda é menor que as de FHC e Lula 1, mas fica ainda mais evidente que a inflação voltou a crescer. Feitas as correções o gráfico que encerra a reportagem deveria ficar mais ou menos como o gráfico abaixo.




Daí eu pergunto ao leitor: Qual a manchete mais fidedigna aos fatos? A minha ou a do Estadão? E olhem que eu nem comentei que o aumento da inflação veio acompanhado de uma queda no crescimento, se tivesse minha manchete poderia ser: “Entre Aumentar a Inflação e Gerar uma Recessão Governo Dilma Escolheu os Dois”.

Comentários

  1. Recessão faz diminuir a inflação. Teoria econômica ortodoxa continua funcionando.

    Agora os economistas campineiros vão rever suas posições heterodoxas e cocordar que eles estavam errados ao dizer que recessão não serve para combater a inflação. Hahahaha.....

    ResponderExcluir
  2. A manchete do Estadão esta correta e você errado.
    A matéria é de janeiro deste ano e deixa claro que compara os 3 primeiros anos dos governos FHC, Lula e Dilma. E não poderia ser diferente, visto que esta última não ter, na ocasião, mais do que três anos como parâmetro de comparação com os outros dois,

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Votação do fundo eleitoral por partidos,

2016: O ano que o Império da Lei venceu o império do governante.

Desempenho da economia durante o regime militar: o que dizem os dados?