Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

Notícias de Setembro de 2014

Imagem
Assim termina o mês de setembro:


Bolsa recua mais de 11% no mês (link aqui).O déficit primário de agosto foi R$ 14,5 bilhões. É o maior para o mês desde 2008, é a primeira vez que temos quatro meses seguidos de resultado negativo, além disso é o pior resultado da história para o acumulado no ano e em proporção ao PIB (link aqui). Carlos Hamilton, diretor de Política Econômica do BC, reconheceu o risco da política fiscal tornar-se expansionista. Conheço o Carlos Hamilton da época da EPGE, trata-se de um excelente economista que está na ingrata função de defender o indefensável, conheço o sentimento e como forma de solidariedade anuncio que reconheço o risco do Botafogo não ficar entre os quatro melhores do Brasileirão em 2014.Governo arrecada 30% menos que o esperado no leilão da telefonia 4G (link aqui).De acordo com a edição mais recente, 26/9, do Relatório Focus do Banco Central a expectativa de inflação para o ano é de 6,31%, a taxa de crescimento esperada é de 0,29%, espera-se uma …

Tô com o Sachsida

Imagem
Com a proximidade das eleições creio que é hora de listar meus motivos para votar e apoiar a candidatura do Adolfo Sachsida para Deputado Distrital. De início voto no Adolfo por conhecê-lo bem. Nos conhecemos em 1998 quando tomei posse no IPEA e fui trabalhar na Coordenação Geral de Finanças Públicas. Trabalhamos juntos, ficamos amigos e escrevemos dois trabalhos. Um sobre paridade descoberta da taxa de juros que foi publicado na Applied Economic Letters (Uncovered interest parity and the peso problem: the Brazilian case, link aqui) e outro sobre ciclos reais no Brasil que foi publicado na Revista Brasileira de Economia (Business cycle fluctuations in Brazil, link aqui), esse último estava (não sei se ainda está) entre os dez mais citados da história da RBE. Naquela época já via o Adolfo como o tipo do amigo que podemos contar mesmo nas horas mais difíceis. Certa vez o descrevi como o tipo de amigo que se te ver do outro lado da rua brigando sozinho contra cinco cara fortes atravessa …

Grau de Abertura e Desempenho Econômico no Brasil, na Rússia, no México e no Chile: Um Contraponto ao Ministro do Desenvolvimento

Imagem
Já tinha visto em comentários no FB e em outros espaços virtuais argumentos que tentam culpar a abertura da economia pelo baixo crescimento, pela redução da participação da indústria de transformação no PIB e pela que saldo comercial. Porém o que era “coisa de internet” ganhou tons oficiais quando Mauro Borges, Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), resolveu usar do argumento da abertura em entrevista à Folha de São Paulo (link aqui). De saída deixo claro que tenho grande admiração por Mauro Borges e que se é para ter um desenvolvimentista no MDIC que seja ele. Dito isso não posso deixar de registrar minha discordância em relação à fala do ministro. Durante a entrevista foram feitas várias críticas mais ou menos veladas à abertura comercial, mas a passagem que motivou este post foi quando o ministro respondeu a questão sobre a queda do superávit comercial no governo Dilma e culpou o fato de sermos uma economia “relativamente aberta”. Ressalto que, hábil no…

Dois Toques: Crescimento e Saque do Fundo Soberano

Imagem
Tenho andando atarefado e sem tempo para comentar o tanto de coisas que estão acontecendo na economia. Aproveito o sábado para registrar dois temas que foram discutidos durante a semana. O primeiro, que nunca sai de pauta, diz respeito ao crescimento. Governistas insistem em colocar no resto do mundo a culpa pelo baixíssimo crescimento da economia no governo Dilma. Chega a ser ridículo que um dos países mais fechados do mundo culpe a falta de demanda externa pelo baixo crescimento, mais ridículo do que isso só um governo que em 2013 previu um crescimento real de 4% para 2014 (link aqui) culpe uma crise que começou em 2008 por um crescimento de menos de 0,5% (a mediana das previsões está em 0,3%) em 2014.
Para os que ainda têm dúvidas quanto ao caráter local de nossa crise gostaria de mostrar um par de gráficos que fiz para uma palestra na embaixada do Reino Unido aqui em Brasília. O primeiro mostra o crescimento de Brasil, Chile, Rússia, EUA e Reino Unido entre 2000 e 2011, o segundo…

"Nada de Novo no Front" ou "A Provocação Continua"

Imagem
Ontem fiz um post com uma provocação a partir de dados da PNAD 2013, a provocação consistiu em dizer que o fim do processo de desconcentração de renda era devido às políticas econômicas do governo Dilma. Hoje o IBGE revisou os dados e os novos dados mostraram uma leve queda na concentração de renda, alguns amigos já vieram com a contra-provocação. É justo, muito justo, justíssimo... Mas devo avisar aos amigos que a essência da provocação não muda, ainda é visível que a queda da concentração de renda perdeu força no governo Dilma. O gráfico abaixo mostra a série original do IBGE, a série corrigida hoje e a série caso o governo Dilma tivesse conseguido manter a tendência pré-Dilma.



Fica claro que a linha verde, a que extrapola a queda do Gini entre 2001 e 2010 para 2013 está bem abaixo da linha vermelha, que seria o Gini oficial (válido até hoje, 19/09/2014, porém pode mudar a qualquer momento). Lamento mas a provocação continua, o novo número não muda a essência do problema. Não há nad…

PNAD 2013: Fim de uma Era?

Imagem
Comecei este blog em julho de 2013, na época disse que estava fazendo o blog como minha pequena contribuição para denunciar a reversão da política econômica inciada de forma modesta por Lula em 2005/06 e aprofundada por Dilma em 2011, se alguém quiser ver o post de abertura e apresentação do blog o link está aqui, para os que não tem paciência para tanto eu destaco um trecho daquele post de abertura do blog:

"A estabilidade econômica foi considerada um valor em si, as privatizações foram feitas, iniciou-se um processo de abertura da economia e uma agenda de reformas buscando a eficiência. O resultado foi um período de crescimento modesto, porém maior que o dos anos 1980, e um processo de desconcentração de renda sem paralelos em outros períodos com disponibilidade de dados. Pela primeira vez em muitos anos os pobres participavam dos ganhos gerados pelo crescimento. A reversão destas políticas coloca em risco todas estas conquistas." De lá para cá coreu mais de um ano e blog …

Provocações de uma Noite Calorenta ou Eles não Cansam do Câmbio?

Imagem
Acabei de terminar um parecer para o Conselho Administrativo da UnB, minha esposa está assistindo um filme, mas como perdi mais da metade não quis assistir, então, entediado em uma noite calorenta de Brasília, resolvi fazer uma provocação gratuita, barata e desnecessária (mas nem tanto) a alguns colegas. Olhem o gráfico abaixo:




Trata-se do saldo em transações correntes da economia brasileira, para não economistas grosso modo valores negativos representam o quanto de dinheiro temos de pegar no exterior para fechar nossas contas aqui no Brasil. Reparem que o valor mais baixo na série ocorre em 1983. Não é por acaso, no final da década de 1970 o mundo entrou em recessão por conta do Segundo Choque do Petróleo, mas o Brasil decidiu que não queira uma recessão e tratou de “comprar” a saída da crise, afinal a estratégia parecia ter dado certo no início da década de 1970 quando do Primeiro Choque do Petróleo. Para isso precisou se financiar no exterior, em 1983 esse financiamento ultrapasso…

Os Lucros dos Bancos e a Taxa de Juros

Imagem
Se existe uma tese persistente no debate político e econômico brasileiro é que os bancos são os grandes beneficiários dos juros altos. É fácil entender a razão da tese: como pagamos juros aos bancos acreditamos que quanto maiores os juros mais os bancos lucram. Atualmente esta tese é explorada no debate político por conta da proposta da candidata Marina Silva de dar independência ao Banco Central. Os críticos dizem que o BC independente aumentaria os juros por conta de pressão dos banqueiros em busca de lucros altos e fáceis. Devo alertar ao leitor que o debate a respeito da independência do Banco Central é um debate complexo. Eu sou favorável à existência de um BC independente, dito isto eu reconheço argumentos válidos tanto dos que são contra a independência do BC quanto dos que são contra a existência do BC. O que vou explorar neste post é a tese que bancos são os grandes ganhadores quando a taxa de juros aumenta.
Existem duas questões que me incomodam na tese. A primeira é que ba…

Manifesto sobre o caso envolvendo o Banco Central e o Economista Alexandre Schwartsman

Imagem
Alguns amigos estão perguntando a respeito do manifesto sobre o caso entre o Banco Central e o economista Alexandre Schwartsman. O caso foi divulgado pela revista Veja e trata de um processo do BC contra o Alexandre Schwartsman por suposta difamação do BC pelo economista. Acompanho o trabalho de Alexandre Schwartsman e compartilho de várias das críticas que ele fez ao BC. Ocorre que este caso não é sobre divergências em economia, trata-se de intimidação para calar os críticos. Isso é  inadmissível em uma democracia!

Como forma de protestar contra este ato de arbitrariedade do BC e se solidarizar com o Alexandre Schwartsman alguns economistas assinaram um manifesto. Para assinar o manifesto basta entrar no link: Petição Pública e procurar por Alexandre Schwartsman. De forma alternativa você pode clicar aqui. O texto do manifesto é o seguinte:


Manifesto sobre o caso envolvendo o Banco Central e o Economista Alexandre Schwartsman A recente notícia de uma ação judicial contra o economista…

Avaliação do Ideb: Um Fosso Inaceitável

Imagem
De saída devo dizer que a ideia do governo federal avaliar todas as escolas do país não me agrada, é muito poder nas mãos dos que em tese deveriam estar nos servindo. Dito isto confesso que não resisti a dar uma olhada nos resultados do Ideb (Índice Nacional de Educação Básica, link aqui) para 2013. Como o nome diz o índice é uma tentativa de avaliar e classificar as escolas de educação básica. Várias coisas me chamaram atenção, em tempo farei comentários a respeito de cada uma delas, hoje quero comentar o que, apesar de não ser nenhuma surpresa, me chamou mais atenção: a gigantesca diferença entre a qualidade das escolas públicas e das escolas privadas. Para fazer os comentários usei os números relativos aos estudantes de oitava e nona série da rede pública e da rede privada. Tentei usar os estudantes que terminaram o terceiro ano do ensino médio, mas os dados não estavam disponíveis para a rede pública.
Os dados mostram uma realidade brutal. A melhor avaliação da rede pública foi e…

"Governo Dilma é o Primeiro a Aumentar a Inflação Média desde o Plano Real", ou Estadão adere à Imprensa Governista, ou ainda "Entre Aumentar a Inflação e Gerar uma Recessão Governo Dilma Escolheu os Dois"

Imagem
Pior do que uma imprensa golpista é uma imprensa governista. Hoje no Facebook circulou uma matéria do Estadão afirmando que “Inflação média de Dilma é a mais baixa desde o Plano Real” (link aqui). Estranhei e fui ler a matéria completa, logo abaixo da chamada está escrito: “Em 3 primeiros anos, alta de preços do atual governo é menor que a de Lula e FHC”. Pensei que poderia ser verdade em relação aos primeiros mandatos de FHC e Lula, mas estranhei que fosse válido para os segundos mandatos. Lendo a matéria percebi que segundo o Estadão só contam os primeiros mandatos, o prestigioso jornal paulista acredita que segundo mandato não conta. Com este critério o Estadão conseguiu de fato justificar o título da matéria uma vez que nos períodos 1995/1997, 2003/2005 e 2011/2013 a inflação média foi de 12,4%, 7,53% e 6,08%, respectivamente. O que aconteceu em 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010 não interessa a quem escreveu a manchete.
Como sou um sujeito persistente co…

Expectativas de Inflação e a Entrevista de Aécio Neves ao Jornal da Globo

Imagem
Aécio Neves foi ao Jornal da Globo e não respondeu de forma clara o que fará com a taxa de juros em 2015. A primeira vista pode parecer mais um caso onde um candidato tenta esconder medidas impopulares que terá de tomar caso seja o eleito. Olhando com mais cuidado pode ser que Aécio não tenha respondido pelo simples fato que é impossível responder a pergunta. Não tenho como saber o que se passava na cabeça de Aécio e, portanto, não descarto nenhuma das duas possibilidades como a real motivação de Aécio. Mas acredito que é válido aproveitar a oportunidade para explicar a razão de ser praticamente impossível afirmar o que deverá ser feito com a taxa de juros em 2015.
Comecemos com alguns conceitos de economia (é chato, mas foi você que veio ler o blog de um economista). Existe um grande debate a respeito da relação entre inflação e variáveis como nível de atividade e desemprego, porém, a sabedoria padrão relativa ao tema diz que a inflação depende da inflação esperada, do desemprego e …

Os Números da Indústria e o Descolamento da Realidade de Dilma na Defesa do Indefensável

Imagem
A novidade do dia foi a divulgação da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) mostrando que em relação a junho a indústria cresceu 0,7% em julho (link aqui). Não é um número que impressione, apesar de ajustes sazonais é praticamente impossível limpar os efeitos da Copa do Mundo deste resultado. O cenário fica mais claro quando se compara julho de 2014 com julho de 2013, queda de 3,6% na produção industrial. No acumulado do ano a queda é 2,8% e nos últimos doze meses a queda foi de 1,2%. Uma evidência forte que o aumento de julho pode ter sido uma compensação da queda de junho é obtida quando se observa que as categorias que mais subiram em julho foram as categorias que mais caíram em junho (link aqui). Bens de Consumo Duráveis aumentou 20,3% em julho, mas tinha caído 24,9% em junho e Bens de Capital que aumentou 16,7% em julho, mas tinha caído 9,7% em julho.
Deixemos então de lado a variação mensal e voltemos nossa atenção para o que é mais interessante: a comparação com julho de 2013. Como…

Participação no Falando Francamente com Adolfo Sachsida

No domingo participei do Falando Francamente organizado pelo Adolfo Sachsida e com participação de Rodrigo Souza, Joao Vitor Dias, e Rodrigo Saraiva Marinho. A conversa foi sobre a corrida presidencial. Segue o vídeo, se o vídeo não estiver visível o link está aqui.


Conversa com Lobos: O Vídeo

No dia 24/07 deste ano tive a oportunidade de participar de evento organizado pelos Lobos da Capital em conjunto com o Instituto Liberal do Centro Oeste, na ocasião fiz a defesa da agenda de reformas implementada na década de 1990 (comentei aqui). Ontem o Rafael Pavão fez a gentileza de mandar o link para o vídeo no You Tube. O vídeo está abaixo, mas se não estiver visível o link está aqui.