De Novo?

Desde que o Banco Central resolveu abandonar o compromisso com o Regime de Metas e fazer apostas em coisas como convergência não linear de longo prazo que todo meio do ano aparecem umas figuras falando que a queda da inflação é o sinal que a tal convergência vai ocorrer. Lamento mais uma vez ser o estraga festa, mas a queda da inflação no meio do ano é um fenômeno recorrente e que não oferece nenhum sinal de convergência à meta nem no curto nem no longo prazo. A figura abaixo mostra o comportamento da inflação em 2011, 2012, 2013 e 2014. Percebem o padrão? Todo ano é a mesma coisa. A inflação cai no meio do ano e sobe a partir de agosto.


Se o Banco Central quer mesmo trazer a inflação para o centro da meta é melhor parar de apostar no imponderável e ficar adiando a data em que a tão esperada convergência ocorrerá. Basta fazer o que tem de ser feito, eles sabem o que é, se não fazem é porque não querem.

Comentários

  1. Roberto, Não tenho certeza de que "eles" -- os diretores do BC e membros do Copom -- não querem, acho mais que porque não podem. Alexandre Tombini certamente, pois tem um cargo político e pode ser defenestrado a qualquer momento pela soberana (no regime anterior, antes de Meirelles, pelo ministro da Fazenda). Ele no fundo sabe que a política atual é ruim, mas precisa se entender com os neokeynesianos de botequim que estão um pouco mais longe na Esplanada (aliás, acho que são mais de botequim do que keynesianos). Os demais diretores se dividem, e também sabem que a política é ruim, mas um pouco por solidariedade com o presidente, para não deixá-lo sozinho, um pouco porque continuam acreditando que os malucos da Fazenda e do Planalto vão finalmente se render às evidências, e assim apoiam essa política esquizofrênica: mantém os juros altos por um lado, solta o crédito por outro.
    Em qualquer país sério, o parlamento já teria encurralado o presidente do BC: ele prometeu, em 2011, entregar a inflação na meta no ano seguinte. Nunca cumpriu. Mas continuo achando que é porque não pode, não porque não quer.
    A solução: acredito na independência do BC, ou seja, mandato fixo, e relatórios ao Congresso. A sociedade acaba aceitando e aprendendo...
    Não sei o que você pensa...
    Paulo Roberto de Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em linhas gerais eu concordo, acredito que a diretoria do BC saiba que está no caminho errado e preferiria tomar outro caminho. Porém ao permanecerem no cargo e não tomarem as medidas apropriadas tornam-se cúmplices da política econômica do governo. Não estou dizendo que é fácil, nem mesmo digo que eu faria diferente, mas são ossos do ofício, como dizem: ônus e bônus.

      Excluir
  2. "Regime de Metas e fazer apostas em coisas como convergência não linear de longo prazo" -> fica parecendo promessa de ano novo, né?

    — Este ano eu vou malhar, e a inflação vai convergir para o centro da meta.
    — Mas você disse isso ano passado!
    — Mas agora é de verdade!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Votação do fundo eleitoral por partidos,

2016: O ano que o Império da Lei venceu o império do governante.

Desempenho da economia durante o regime militar: o que dizem os dados?