Crônica de uma Recessão Anunciada

O PIB caiu no segundo trimestre, nenhuma surpresa, todos os que acompanham o assunto com exceção dos economistas do governo e da claque empenhada em defender a desastrosa política econômica de Dilma esperavam os resultados ruins. Antes que me acusem de exagerar na crítica peço que olhem as previsões do governo para 2014, os números estão no projeto de lei orçamentária anual para 2014 (link aqui), os gênios apostaram que o crescimento seria de 4%! Culpa da crise, dirá a claque animada pela presidente Dilma. Cada uma credita no que quer acreditar, eu, por exemplo, acredito que o Botafogo ficará entre os quatro melhores do brasileirão, mas devo avisar que a previsão que o Brasil cresceria 4% em 2014 foi feita em 2013, a crise já era um fato. Desta forma, além de perguntar a razão do baixo crescimento é válido perguntar a razão da economia estar crescendo muito menos que o previsto pelo governo. Em 2013 o governo não sabia que existia uma crise?

Vamos aos números (link aqui). A indústria, alvo de 11 entre 10 políticas de crescimento do governo, encolheu 1,5% quando comparamos o segundo trimestre de 2014 com o primeiro trimestre do mesmo ano, quando a comparação é feita com o segundo trimestre de 2013 a queda foi de 3,4%. Diante de resultados tão ruins seria legítimo perguntar se o governo não está vendo que as políticas atuais não surtem efeitos simplesmente por estarem erradas e não por conta de choques ruins. O setor de serviços, o maior responsável pelo emprego, encolheu 0,5% em relação ao trimestre anterior e cresceu 0,2% em relação ao segundo trimestre de 2013. Em relação ao primeiro trimestre de 2014 a agropecuária cresceu 0,2%, o único setor que não encolheu no período, se compararmos com o segundo trimestre de 2013 o (não) crescimento foi de 0%. A soma de tudo isto mostra uma redução do PIB de 0,6% em relação ao primeiro trimestre deste ano e uma redução de 0,9% em relação ao segundo trimestre de 2013. Se o leitor ainda não está suficiente impressionado com o tamanho do desastre, vale lembrar que tudo isto aconteceu com a inflação subindo. O ministro Mantega acusa a oposição de propor uma recessão para combater a inflação, imagino que ele esteja orgulhoso de estar em uma recessão sem combater a inflação.

Passemos agora para o lado da demanda. Vi de relance algumas sugestões que o baixo crescimento seria devido à redução do consumo das famílias por conta de restrições ao crédito. Os números mostram que em relação ao primeiro semestre de 2014 o consumo das famílias cresceu 0,3%, se a referência for o segundo trimestre de 2013 o crescimento foi de 1,2%. É pouco, alguém pode dizer, mas no contexto não é, pelo contrário nos dois períodos o consumo das famílias foi o item do PIB que mais cresceu. Se considerarmos os acumulados o consumo das famílias só cresceu menos que o consumo do governo. A grande queda foi no investimento. Em relação ao trimestre anterior o investimento caiu 5,3% e em relação ao segundo trimestre de 2013 a queda foi de impressionantes 11,2%. Mesmo assim a equipe econômica pede que acreditemos que estão sendo construídas as bases para um período de crescimento, pior, acusam os que não atendem ao chamado de fé de pessimistas e ignorantes. Ainda no lado da demanda o consumo do governo caiu 0,7% quando comparado ao trimestre anterior e cresceu 0,9% quando comparado ao segundo trimestre de 2013.


Os números deixam pouco espaço para análises, o recado está muito claro: a economia brasileira parou de crescer. Outro recado muito claro aparece quando comparamos o que governo esperava para 2014 e o que está acontecendo: a equipe econômica do governo está perdida. Não há mais espaço para perda de tempo, já passou da hora dos economistas que nos levaram a esta situação que eles mesmos consideravam inimaginável reconhecerem o erro e pedirem para sair. Mantega e sua turma se mostraram completamente incapazes de entender o que está acontecendo na economia brasileira, é preciso colocar no Ministério da Fazenda e do Planejamento profissionais que entendam o que está acontecendo e possam buscar saídas para a crise em que nos metemos. Adiar esta medida só aumentará a dimensão da estagflação em que estamos.



Comentários

  1. Se o objetivo do PT é implantar o caos no Brasil para implantar o socialismo de vez, nenhuma medida será tomada e sua equipe econômica continuará a mesma.
    .
    O governo estimou, para iludir o povo, que em 2015 terá aumento do salário mínimo... Do jeito que a economia está, teremos é confiscações de poupanças, desemprego e fome. Basta os EUA aumentar sua taxa de juros, sim??

    ResponderExcluir
  2. Roberto, parabéns pelas recentes entrevistas na televisão. É importante uma pessoa extremamente qualificada falar ao público leigo. Vc merece uma coluna em algum jornal de grande circulação.

    Grande abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Votação do fundo eleitoral por partidos,

2016: O ano que o Império da Lei venceu o império do governante.

Desempenho da economia durante o regime militar: o que dizem os dados?