terça-feira, 18 de março de 2014

Krugman, Brasil e Argentina

Dizem que quando Debreu terminou seu discurso Nobel alguém o perguntou sobre a economia da Europa e ele respondeu que não falava sobre o que não entendia. Não sei se a história é verdade ou se é lenda. Hayek falou que não devia existir um prêmio Nobel em economia porque receber este prêmio dá ao laureado uma autoridade que nenhum economista deveria ter.
Pois bem, toda esta conversa sobre Krugman ter elogiado a economia brasileira me lembrou destas histórias e do post que ele colocou no blog dele elogiando a Argentina. Que Krugman é um excelente economista eu não discuto. Claro que isso não o obriga a ser um especialista em América Latina, mas, sabendo da autoridade que tem acredito que ele deveria tomar um pouco mais de cuidado antes de incentivar políticas que podem levar países a sérios problemas econômicos.

Estou responsabilizando Krugman pela crise na Argentina? Não, de modo algum. Mas tenho bons motivos para acreditar que as declarações dele deram forças e argumentos para os que implementavam e defendiam as políticas que levaram a Argentina a atual crise.



3 comentários:

  1. Eu imaginei agora um Nobel para Psicologia.

    "-Doutor, não acho que o machismo do meu pai é a causa da minha agorafobia.
    -Cala a boca, eu tenho um Nobel!"

    ResponderExcluir
  2. No artigo q você lembrou ele disse "I think Brazil is going pretty well". Como a Argentina crescia mais ou menos como Brasil, então Argentina também estava going well! Oversimplificando, coisa que o prêmio Nobel Krug fez muito bem academicamente mas sempre usa para ancorar sua agenda.
    Brasil agora está "not so well" e Argentina foi para o buraco.

    ResponderExcluir
  3. Roberto,

    Faz ideia de quanto foi o jabá que pagaram para ele falar isso?

    ResponderExcluir